Olá visitante! Cadastre-se ou faça o login.

Atendimento

413030-1962
Logo

Atendimento

413030-1962
Carrinho
zoom passe o mouse
Onde a luta se travar: uma história das Assembleias de Deus no Brasil (Ref: 7888605)
Quem já participou de cultos em Assembleias de Deus (ADs) no Brasil, possivelmente já ouviu ou cantou este verso, que faz parte do refrão de um dos cânticos da Harpa Cristã...
Disponibilidade: Envio imediato
por R$ 66,00 ou por R$ 0,00 no Depósito bancário
Quantidade: No momento a quantidade solicitada não esta disponível em estoque
Digite seu CEP:
Descrição longa
Onde a luta se travar: uma história das Assembleias de Deus no Brasil
Maxwell Fajardo

Quem já participou de cultos em Assembleias de Deus (ADs) no Brasil, possivelmente já ouviu ou cantou este verso, que faz parte do refrão de um dos cânticos da Harpa Cristã, hinário oficial da maior parte das ADs no Brasil. A letra, normalmente cantata com entusiasmo e em ritmo de marcha, exprime o caráter militante e expansionista que caracterizou o crescimento da denominação no Brasil. Fundada em Belém do Pará em 1911 por dois missionários suecos, sua expansão se deu em consonância com diversas transformações sociais ocorridas no Brasil durante o século XX. Dentre tais transformações ganham destaque os processos complementares de industrialização e urbanização do país, em evidência de modo especial a partir da segunda metade do século. Neste livro o autor procura analisar o processo de expansão das ADs neste contexto.
A pesquisa se deu a partir de duas problemáticas iniciais. A primeira delas o número de membros da denominação. De acordo com o último Censo, as ADs contam com doze milhões de membros, seis vezes mais que a segunda maior denominação pentecostal, a também centenária Congregação Cristã no Brasil. Deste modo, embora sejam observados nas ADs os mesmos ingredientes já estudados por outros autores no que diz respeito ao crescimento pentecostal no país, esta pesquisa se propõe a verificar o que há de específico nas ADs.
A segunda problemática é a imensa fragmentação da Igreja. No contexto brasileiro não é possível pensar na AD como um grupo singular e verticalizado sob o comando único de um líder nacional. A denominação está fragmentada em uma série de grupos independentes que podem ou não guardar semelhanças entre si. Tais grupos são chamados de Ministérios e têm autonomia para a gestão de suas respectivas redes de templos que podem estar circunscritas a uma cidade ou região ou mesmo espalhadas por todo o país. Assim após o nome Assembleia de Deus inscrito na placa de um templo, poderá ser encontrado algo como Ministério de Madureira ou Ministério do Belém, por exemplo. Tais inscrições, mais que meros detalhes administrativos internos, são designações fundamentais para se compreender como funciona e como se desenvolveu no decorrer do século XX a Assembleia de Deus, ou, mais coerentemente, as Assembleias de Deus, que são várias e não uniformes.
Assim, o livro se propõe a analisar historicamente o desenvolvimento da plural plataforma denominacional das Assembleias de Deus, levando em conta tanto os discursos de seus líderes quanto as práticas culturais observadas em seus cultos e desenvolvidas por seus membros. Como se verá, além da ¿luta contra o pecado¿, presente nos discursos de líderes e leigos de diferentes vertentes da denominação, diversas outras lutas se configuraram no interior das ADs, sejam as lutas entre os agentes do campo institucional, ou as lutas em torno do estabelecimento de símbolos culturais que demarcassem a tradição da igreja, ou mesmo a luta pessoal dos membros da AD no processo de migração e estabelecimento na periferia das grandes metrópoles. Foi por intermédio do travamento de tais lutas que as ADs adquiriram sua plural configuração, como se pretende demonstrar.
Especificação
Apresentação: Brochura
Formato: 16 x 23cms
Dados técnicos
ISBN: 978-85-5507-459-2
Páginas: 425
Edição: 1ª
Ano Publicação: 2017
Texto adicional
Maxwell Fajardo