Olá visitante! Cadastre-se ou faça o login.

Atendimento

413030-1962
Logo

Atendimento

413030-1962
Carrinho
zoom passe o mouse
Memória, história, e esquecimento em Umberto Eco e Chico Buarque de Holanda (Ref: 9788555078149)
O livro propõe uma discussão sobre a narrativa memorialista por meio da comparação entre duas obras literárias, uma brasileira e a outra italiana. De um lado, temos o quinto romance do semiólogo e es
Disponibilidade: Envio imediato
por R$ 48,00 ou por R$ 0,00 no Depósito bancário
Quantidade: No momento a quantidade solicitada não esta disponível em estoque
Digite seu CEP:
Descrição longa
História, memória e esquecimento em Umberto Eco e Chico Buarque de Holanda
Paulo Fernando Zaganin Rosa

O livro propõe uma discussão sobre a narrativa memorialista por meio da comparação entre duas obras literárias, uma brasileira e a outra italiana. De um lado, temos o quinto romance do semiólogo e escritor italiano Umberto Eco, A misteriosa chama da rainha Loana (2005), uma edição repleta de ilustrações que remetem aos anos de 1930 e 1940, apresentando um panorama da Itália naquele período. O protagonista, um bibliófilo, chamado Yambo, perde a memória pessoal, mas mantém intacta aquela livresca. Ao tentar recuperá-la, passa a discutir as relações entre memória individual e memória coletiva, adentrando o universo dos signos e abrindo uma discussão em torno de temas inerentes à semiótica. De outro lado, temos o quarto livro do cantor, compositor e escritor brasileiro Chico Buarque de Holanda, Leite derramado (2009), uma obra nostálgica que também investiga as relações entre os dois tipos de memória. Seu protagonista é Eulálio Montenegro D¿Assumpção, um centenário carioca de família aristocrática decadente que, no hospital, em seu leito de morte, relembra fatos de sua vida pessoal, por trás dos quais se redesenha fatos da história do Brasil. Partindo do princípio de que os dois romances, no decorrer de suas narrativas, demonstram a capacidade da memória para registrar a própria história e para a constituição das identidades individual e nacional, o que se procura discutir nesta obra, a partir de estudos sobre a memória realizados por Santo Agostinho, Henri Bergson, Maurice Halbwachs, Jacques Le Goff, Paul Ricoeur, entre outros, são as formas utilizadas por Umberto Eco e Chico Buarque para o registro memorialístico, a fim de demonstrar que, ao recontar a história, ambos fazem uma homenagem à própria literatura.
Especificação
Apresentação: Brochura
Formato: 14,8 x 21cm
Dados técnicos
ISBN: 978-85-5507-814-9
Páginas: 179
Edição: 1ª
Ano Publicação: 2017
Texto adicional
Paulo Fernando Zaganin Rosa