Olá visitante! Cadastre-se ou faça o login.

Atendimento

413030-1962
Logo

Atendimento

413030-1962
Carrinho
zoom passe o mouse
Coleção Ciências Ambientais (Ref: 7898745)
Nos dias atuais, enfrentamos problemas ambientais das mais variadas formas e escalas, desde a escassez de recursos hídricos ao aquecimento global. A demanda por recursos de natureza variada tem levado
Disponibilidade: Indisponível
por R$ 1,00 ou por R$ 0,00 no Depósito bancário
Descrição longa
Nos dias atuais, enfrentamos problemas ambientais das mais variadas formas e escalas, desde a escassez de recursos hídricos ao aquecimento global. A demanda por recursos de natureza variada tem levado a todo tipo de agressão aos nossos ecossistemas, incluindo a poluição dos rios e mares, a sobrepesca e o desmatamento acelerado. Isto tem gerado consequências à saúde dos ecossistemas, afetando o equilíbrio delicado das teias tróficas e, portanto, o seu funcionamento.
O Brasil é o segundo país em cobertura vegetal do mundo, perdendo apenas para a Rússia. Entretanto, o desmatamento está reduzindo de forma drástica a cobertura vegetal no território brasileiro. A perda de áreas florestais vem se agravando ano a ano, com possíveis consequências a médio e longo prazos como perda da biodiversidade, empobrecimento do solo, alterações nas nascentes e nos ciclos hidrológicos, emissão de gás carbônico na atmosfera, alterações climáticas e processos de desertificação.
O Brasil também é um país bem classificado quanto aos recursos hídricos, possuindo aproximadamente 12% das águas doces disponíveis em todo o planeta Terra. No entanto, a distribuição dos recursos hídricos no Brasil também não é uniforme, havendo áreas com grande disponibilidade (Região Amazônica) e áreas com escassez deste recurso (Sertão Nordestino). Além da distribuição desigual, a qualidade das águas depende do grau de urbanização e da demanda. O grau de urbanização da população humana é um dos fatores de maior pressão nos usos múltiplos dos recursos hídricos. No Brasil essa urbanização atinge 84% da população total do país (IBGE 2010). O aumento da descarga de águas residuárias de populações urbanas tem enorme impacto sobre a qualidade das águas superficiais e subterrâneas. Segundo dados da Agência Nacional de Águas (ANA, 2011), somente 35 % das águas de esgoto no Brasil são tratadas. A contaminação por substâncias tóxicas, metais pesados, fertilizantes, pesticidas e herbicidas utilizados na agricultura, é outro fator que impacta a qualidade das águas superficiais e subterrâneas. Além disso, a construção de reservatórios nas bacias hidrográficas afetam os ciclos hidrológicos e biológicos, aumentando, consequentemente, os impactos sócio-ambientais. Somado a isso, há um impacto permanente sobre a saúde humana e a segurança coletiva da população decorrente da contaminação, perda de qualidade e falta de disponibilidade de recursos hídricos.
Esta coleção destina-se principalmente a estudantes de graduação, pós-graduação e profissionais da área de Ciências Ambientais e correlatas, tais como Biologia, Ecologia, Engenharia Ambiental e ciências afins. Os livros desta coleção serão compostos por volumes temáticos ou coletâneas de assuntos relacionados à temática ambiental, principalmente numa escala regional, focando nos problemas da degradação ambiental no Brasil.

Diretor Científico
Aloysio da Silva Ferrão Filho (Fiocruz)

Corpo Editorial
Betina Kozlowsky-Suzuki (UNIRIO)
Cláudia Costa Bonecker (UEM)
Jayme Santangelo (UFRRJ)
Lucia Helena Sampaio da Silva (UFRJ)
Marcelo M. Marinho (UERJ)
Maurício Mello Petrucio (UFSC)
Paulina Maia Barbosa (UFMG)
Ricardo M. Pinto-Coelho (UFMG)
Sandra M. F. O. Azevedo (UFRJ)