Olá visitante! Cadastre-se ou faça o login.

Atendimento

413030-1962
Logo

Atendimento

413030-1962
Carrinho
zoom passe o mouse
A Libertação de Cativos Sob o Manto de Nossa Senhora dos Remédios (Ref: 9788555072246)
Preparem-se os leitores para uma utilíssima e agradável viagem histórica, com pontos de partida e de chegada marcados pelo mesmo desafio. É que hoje como ontem há cativos a sofrer no mundo. No...
Disponibilidade: Envio imediato
por R$ 62,00 ou por R$ 0,00 no Depósito bancário
Quantidade: No momento a quantidade solicitada não esta disponível em estoque
Digite seu CEP:
Descrição longa
A Libertação de Cativos Sob o Manto de Nossa Senhora dos Remédios
Lidice Meyer Pinto Ribeiro

Preparem-se os leitores para uma utilíssima e agradável viagem histórica, com pontos de partida e de chegada marcados pelo mesmo desafio. É que hoje como ontem há cativos a sofrer no mundo. No século XII, eram cristãos sob o domínio dos mouros, em tempos de Cruzadas. Mais tarde, eram os negros escravizados em solo brasileiro. Nos dias atuais, vige o tráfico de órgãos e de pessoas, nova e vergonhosa modalidade de escravidão.
Com largos conhecimentos de história e antropologia cultural, a autora nos convida a essa viagem, partindo do ano de 1197, com a criação da Ordem da Santíssima Trindade para a Libertação dos Cativos, pelo piedoso sacerdote francês, João da Mata e seu companheiro, Félix de Valois.
Libertar, naquelas circunstâncias, exigia somas de dinheiro inalcançáveis para os dois religiosos. Recorreram eles, então, ao auxílio de Maria Santíssima, consagrado remédio para todas as necessidades que encontramos na vida. Atendidos de pronto, conseguiram
libertar da escravidão milhares de irmãos na fé e puseram a Ordem, felizes, sob a proteção da mãe de Jesus, invocada como Nossa Senhora dos Remédios.
Remédio e remido, remediar e redimir são termos que, além da similaridade gráfica e oral, permeiam, pela sua força conceitual, toda a multissecular história de um cristianismo voltado a resgatar e curar os necessitados e oprimidos do mundo.
Assim é que vemos se espalhar por muitos países a Ordem dos padres trinitários e com eles aquela devoção mariana, presente já no Brasil, na igreja do Arraial do Cabo, em terra fluminense. Oprimidos e necessitados não faltavam pelo nosso imenso e inexplorado solo colonial, onde a prática das obras de misericórdia dos ideais trinitários não tardou florescer, especialmente em áreas com alta presença de negros.
Nessa altura do livro, a autora narra, com precisão e beleza, como a devoção à Senhora dos Remédios se impregnou do ardor abolicionista brasileiro, especialmente em meados do século XIX, tudo muito bem documentado pelas suas cuidadosas pesquisas no Brasil, em Portugal, na França e no próprio Arquivo Secreto do Vaticano. São páginas que faltavam na historiografia nacional.
Concluo com duas observações. A primeira, que o País precisa fazer justiça àquelas dedicadas Confrarias de Nossa Senhora dos Remédios, que se desdobraram em obras de misericórdia pela alforria dos escravos; a segunda, que esta obra da Professora Lidice, pós-doutora em Antropologia e História, merece difusão máxima, pelo conteúdo e pela mensagem de libertação tão bem desenvolvida. Porque ainda há cativos demais; até bem próximos de nós.
Especificação
Apresentação: Brochura
Formato: 16 x 23cms
Dados técnicos
ISBN: 978-85-5507-224-6
Páginas: 277
Edição: 1ª
Ano Publicação: 2016
Texto adicional
Lidice Meyer Pinto Ribeiro